Comunicação Social do MPPR

Meio Ambiente

17/10/2019

Gaema de Campo Mourão cobra fiscalização de agrotóxicos em áreas rurais perto de centros urbanos de quatro regionais da Adapar

O Ministério Público do Paraná, a partir do Núcleo de Campo Mourão do Grupo de Atuação Especializada em Meio Ambiente, Habitação e Urbanismo (Gaema), requisitou fiscalização junto à Agência de Defesa Agropecuária do Paraná a fim de averiguar a aplicação de agrotóxicos em lavouras das regionais da Adapar em Campo Mourão, Cianorte, Maringá e Paranavaí, no Centro-Ocidental e Noroeste do estado. A ação visa especialmente o plantio da safra 2019-2020, que começa em meados de outubro.

A intenção do Gaema é estimular a redução dos efeitos agudos e crônicos da aplicação desse tipo de produto nas lavouras, notadamente junto à população periurbana (que vive na periferia das cidades, nas zonas limítrofes da área rural, propensa a sofrer diretamente os efeitos do uso de agrotóxicos). Os critérios de fiscalização estão estabelecidos na Resolução nº 22/85, da extinta Secretaria do Estado do Interior, que regulamenta o uso de agrotóxicos e biocidas no Paraná, buscando limitar a poluição do meio ambiente. Esse controle é fundamental, tendo em vista que o estado é o terceiro maior consumidor de agrotóxicos do país, conforme relatório da Secretaria Estadual da Saúde.

As regionais da Adapar em Campo Mourão, Cianorte, Maringá e Paranavaí abrangem 32 municípios de atribuição do Gaema. A Agência informou ao MPPR que já foram emitidos, até o início desta semana, 14 Termos de Fiscalização a produtores em cujas plantações foram verificadas irregularidades.

 

Informações para a Imprensa:
Assessoria de Comunicação
(41) 3250-4469

Recomendar esta notícia via e-mail:
Captcha Image Carregar outra imagem